Trocadalho

É engraçado como às vezes podemos ser tão literais. Digo, os portugueses.

É engraçado o que o João Botelho diz neste video a respeito do cinema português. Os trocadilhos da Canção de Lisboa ou do Pátio das Cantigas, filmes que formam a base da nossa cultura cinematográfica,  ainda hoje  povoam o nosso imaginário.

Quase que a piada produz sempre uma imagem conflituosa ou contraditória.  Do Bruno Nogueira a um refrão do Quim Barreiros, passando pelo Gil Vicente, podem-se se encontrar várias referências noutras áreas da cultura portuguesa que prolongam a herança do trocadalho. A procura pela associação entre dois conceitos retirados do seu contexto produz pérolas inolvidáveis como “O bacalhau quer’alho!” ou “ó Mariazinha deixa-me ir à cozinha cheirar o teu bacalhau!”.

Não é por acaso que ambos refrões se refugiam no bacalhau, símbolo da essência de ser português  importada da Noruega, já que  desde o Rafael Bordalo Pinheiro e a sua série de cerâmica das couves, à Joana Vasconcelos e ao seu lustre de tampões, pode-se até dizer que esta forma de criatividade é portuguesa, ou nós incorporamo-la como tal.

Parece que o humor é a forma que mais despoleta os criativos portugueses.

Fernando Brízio é um dos exímios esgrimistas do trocadilho no design de produto. Tem tido um papel preponderante em criar imagens através de produtos que provocam muitas vezes um sorriso, ou que parecem ter sido extraídos de uma piada. Mas as coisas também têm de ter graça, além de sofistificação e elegância como alguns catálogos gostam de impôr.

Tenho visto outros exemplos de uma estética quase conceptual-formal, que procura justificar a criação de novas formas através da inserção de elementos que lhe são estranhos. O banco anaJo do Eduardo Silva procura, a meu ver mesmo isso, integrar um elemento, presente no contexto, mas num contexto diferente. É assim que o prato surge como tampo de um banco de tasca.

Continua…

Anúncios

Autor: sellmayer

Paulo Sellmayer is a portuguese/german designer based in Leiria, Portugal. He is the creative director at VICARA and holds his own office.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s